Início Fundador Biografia

Fundador - Biografia

Padre Ladislau Molnár, o Padre da Esperança!

Padre Ladislau nasceu na cidade húngara de Székesfehérvár, no dia 03 de julho de 1931 e foi batizado no dia 12 de julho do mesmo ano. Seus pais, János e Erzsébet, profundamente católicos, cultivavam a oração em família e a freqüência assídua à Santa Missa. Sua mãe tinha por hábito ler diariamente a Bíblia, momento que aproveitava para catequizar as crianças.

Em 16 de junho de 1938 fez a sua primeira comunhão. Em 1943, com 12 anos, perdeu sua mãe. Buscou junto a Maria Santíssima o consolo e o apoio materno que lhe faltaram. Desde muito cedo trabalhou como líder paroquial entre os jovens, sendo crismado em 25 de maio de 1947.

Ainda muito jovem, encontrou-se com o Cardeal Joseph Mindszenty. Aquele encontro plantou uma semente de vocação sacerdotal no seu coração. Padre Ladislau sempre o admirou por sua postura firme, bem como por seu exemplo de vida. Aprendeu com ele a nunca perder a esperança, mesmo na mais dura perseguição: “Lembro bem do Cardeal Mindszenty. Esteve mais na prisão do que fora dela: primeiro pelos fascistas, depois pelos comunistas. Nunca vou esquecer a data: agosto de 1948. Como líder paroquial, fui chamado à cidade de Esztergom, na casa do Cardeal. Recebeu-me junto com seu secretário, Andrez Zaccar. Ele conversou comigo sobre o perigo que o ateísmo representava para o mundo livre. Disse: 'Nós, católicos, não devemos ficar parados. Mesmo que haja sacrifícios, devemos trabalhar por Deus, pela Igreja e pela Pátria'.”

Padre Ladislau, ainda Seminarista, procurou o Bispo em Székesfehérvár, pedindo que não cedesse às pressões do regime comunista pelo rompimento com o Roma. Ouviu naquela ocasião: "Devemos romper, ou todos morreremos". Obediente, porém, profundamente desapontado, Padre Ladislau saiu, batendo a porta. Graças à sua posição firme, e suas palavras de encorajamento, três dias depois, chamado pelo Bispo, recebeu dele uma resposta diferente: "Não nos separaremos de Roma".

Em 1952, com o fechamento dos Seminários, todos os seminaristas foram expulsos. Diante daquela situação, o então seminarista partiu para a cidade de Szeged, onde funcionava de forma limitada um Seminário. Recebendo uma resposta afirmativa do Reitor, contatou pessoalmente cada um dos 44 ex-seminaristas que, após uma breve resistência, aceitaram a sugestão e retornaram ao Seminário.

Em 19 de junho de 1957 foi ordenado sacerdote com o Lema: “Os Judeus pedem sinais, os gregos reclamam a sabedoria; nós, porém, pregamos Cristo crucificado” (1 Cor 1, 22a). Celebrou a primeira Missa em 23 de junho de 1957, domingo, na Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Seguiram-se 09 anos de um difícil trabalho pastoral em Káloz e Budapeste; um tempo de perseguição e prisão. Padre Ladislau organizou pequenos grupos de oração, de forma clandestina, trabalhando a oração do terço em grupos de cinco jovens. Muitos deles ainda vivem nos dias de hoje.

Em agosto de 1966, sob intensa perseguição e constantes ameaças de morte, conseguiu sair da Hungria. Partiu para Roma, onde trabalhou um ano com o monsenhor Joseph Zagon, na Pastoral dos imigrantes húngaros. Desejando ser missionário na África, pediu o visto de entrada no Congo, porém, devido à guerra civil no país, não foi aceito. Em 1967, foi convidado pelos beneditinos a vir para o Brasil. Aceitando, fixou-se em São Paulo, no bairro Morumbi, onde auxiliou na Paróquia Santa Cecília.

Em 1968, ao visitar em Porto Alegre o Dr. Luiz Mezgar, sacerdote húngaro, foi convidado pelo Cardeal Dom Vicente Scherer a trabalhar no Sul, no apoio aos imigrantes húngaros. Aceito o convite, foi incardinado no dia 11 de novembro de 1968 e nomeado para a recém formada Paróquia São Martinho.

Nos anos 70 engajou-se no Movimento de Renovação Carismática. Em seguida, dedicou-se a propagar a Espiritualidade Carismática, tendo participado de Congressos Internacionais e auxiliado no crescimento de várias Comunidades Carismáticas, entre elas, a Canção Nova. A partir de 1985, Padre Ladislau sentiu o chamado de Deus a uma obra nova. Conheceu na Europa várias comunidades leigas inspiradas no Movimento Carismático. Aos poucos, foi-se delineando a formação de uma Obra inspirada nas palavras e no testemunho do Cardeal Mindszenty.

Após um longo período de discernimento, Padre Ladislau e seus colaboradores, com aprovação do Conselho Paroquial da Paróquia São Martinho, fundaram a Fraternidade Nossa Senhora da Evangelização no dia 04 de dezembro de 1990 com esse CARISMA: “Ser sinal visível e permanente da presença viva, amorosa e misericordiosa de Jesus Cristo, hoje no mundo”.

Rádio Fraternidade
Campanha JUNHO

65%
Precisamos de
sua ajuda para
continuar
evangelizando!
Pe.Ladislau Molnár.

Pesquisa no Site
Mensagens da Bíblia
Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles. (Mateus 18, 20)